Estímulo ao Pensamento Computacional a partir da Computação Desplugada: uma proposta para Educação Infantil / Stimulus to computational thinking: a proposal for elementary school

Elisângela Ribas dos Santos, Graciele Soares, Guilherme Dal Bianco, João Bernardes da Rocha Filho, Regis Alexandre Lahm

Resumen


No Brasil, 52% das escolas não possuem acesso à Internet. Além disso, muitas das escolas que se encontram conectadas possuem baixa qualidade de conectividade. A vulnerabilidade de infraestrutura ainda é um dos principais motivos que dificultam a inserção de ferramentas tecnológicas nos planejamentos dos professores. Contudo, é possível minimizar essas dificuldades por meio de técnicas computacionais que não utilizam computadores, é a chamada Computação Desplugada. Esse estudo apresenta a possibilidade de construção de estratégias didáticas para disseminação do Pensamento Computacional entre professores da Educação Infantil, por meio das técnicas de Computação Desplugada. As estratégias são baseadas em algoritmos, sequência e depuração por meio de atividades lúdicas para alunos da Educação Infantil. Para sua implementação, foi realizada uma oficina teórico-prática com 37 professores da rede pública municipal. A proposta comprovou que a maioria dos professores ainda não tinha tido contato com o Pensamento Computacional ou com Computação Desplugada. Observou-se que, apesar de todos manifestarem interesse em novas capacitações sobre as temáticas, boa parte afirmou que provavelmente não replique tais conhecimentos em suas práticas pedagógicas. 

Abstract

It is estimated that approx. 52% of public schools in Brazil have no Internet connection and several of the others only have slow Internet connection. In addition, there is a lack of a physical infrastructure within schools to allow the inclusion of educational technology tools which can give teachers assistance. However, there is a means of overcoming this problem by employing techniques to teach Computer Science without computers, which is called unplugged computing. In this paper, new didactic strategies were devised for disseminating computational thinking among elementary school teachers with the aid of unplugged computing. These strategies are based on computational algorithms mapped to unplugged computing activities. We develop a theoretical-practical workshop involving 37 public school teachers to analyze and test the proposed strategies. However, it was found that although the teachers were interested to learn the new skills required for unplugged computing, most of them stated that they would probably not replicate the knowledge acquired in their teaching practice.


Palabras clave


Tecnologia Educacional; Formação Tecnológica; Prática Pedagógica; Formação Docente; Usos de computadores na educação / Educational Technology; Technological Formation; Teaching Practice; Teacher Training; Computer uses in Education

Texto completo:

PDF

Referencias


Andrade, D., Carvalho, T., Silveira, J., Cavalheiro, S., Foss, L., Fleischmann, A. M., Aguiar, M. e Reiser, R. (2013). Proposta de Atividades para o Desenvolvimento do Pensamento Computacional no Ensino Fundamental. Obtido em 14 Março 2016. Desde http://www.br-ie.org/pub/index.php/wie/article/view/2645.

Araki, K., Furukawa, Z., Cheng, J. (1991). A general framework for debugging. IEEE Software Magazine, 8 (3), 14-20.

Barcelos, T. S.; Silveira, I. F. (2013). Relações entre o pensamento computacional e a matemática através da construção de jogos digitais. In: Anais do XII Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital.

Bell, T., Witten, I. e Fellows, M. (2015). Computer Science Unplugged. Universidade de Canterbury, Nova Zelândia. 105 p. Obtido em 08 Janeiro 2016. Desde http://csunplugged.org/wp-content/uploads/2015/03/CSUnplugged_OS_2015_v3.1.pdf

Bezerra, F. (2014). Bem Mais que os Bits da Computacão Desplugada. Anais do XX Workshop de Informática na Escola (WIE 2014). Obtido em 14 Março 2016, desde http://www.br-ie.org/pub/index.php/wie/article/view/3090/2598

Chaim, M. (2001). Depuração de programas baseada em informação de teste estrutural. Universidade de Campinas, Brasil. Obtido em 08 Janeiro 2016. Desde http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000232441&fd=y

Code.Org. (2016). Code. Obtido em 10 Janeiro 2016, desde Code Web Site https://br.code.org

Cormen, T. (2013). Desmistificando Algoritmos. Rio de Janeiro: Campus.

Costa, T., Batista, A., Maia, M., Almeida, L. e Farias, A. (2012). Trabalhando Fundamentos de Computação no Nível Fundamental: experiência de licenciandos em Computação da Universidade Federal da Paraíba. Congresso da Sociedade Brasileira de Computação, Brasil. Obtido em 14 Março 2016. Desde http://goo.gl/fmX5rP

Ertmer, P., Ottenbreit-Leftwich, A. (2013). Removing obstacles to the pedagogical changes required by Jonassen’s vision of authentic technology-enabled learning. Computers & Education, Amsterdã. Obtido em 17 Junho de 2016. Desde http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0360131512002308

Gomes, T. C. S.; Melo, J. C. B. (2013). O Pensamento Computacional no Ensino Médio: Uma Abordagem Blended Learning. In: Anais do XXI Workshop sobre Educação em Computação. SBC.

Lemmann, Fundação. (2015). Escolas Conectadas: qualidade e equidade nas escolas brasileiras. Fundação Lemmann, Brasil. 12p. Obtido em 26 Fevereiro 2016, desde Fundação Lemmann, Brasil Web Site http://www.fundacaolemann.org.br/wp-content/uploads/2015/08/Sumario_escolas_conectadas_final_diagramado-1.pdf

Machado, E. Z. A. et al. (2010). Uma Experiência em Escolas de Ensino Médio e Fundamental para a Descoberta de Jovens Talentos em Computação. In: Anais do XVIII Workshop sobre Educação em Computação. SBC.

Núcleo de Informação e coordenação do Ponto BR. (2016). Educação e tecnologias no Brasil: um estudo de caso longitudinal sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação em 12 escolas públicas. Núcleo de Informação e coordenação do Ponto BR, Brasil. Obtido em 18 Junho 2016. Desde http://www.nic.br/media/docs/publicacoes/7/EstudoSetorialNICbrTICEducacao.pdf.

Papert, S., Feurzeig, w., Bloom, M., Grant, R., Solomon, C. (2011). Programming-languages as a conceptual framework for teaching mathematics. Interactive Learning Environments, 19 (5), 487–501.

Pérez, A. G., Pons, J. P. (2015). Factores que dificultan la integración de las TIC em las aulas. Revista de Investigación Educativa, 33, 401-417. Obtido 17 Junho 2016, desde http://revistas.um.es/rie/article/view/198161

Scaico, P., Henrique, M., Cunha, F., Alencar, Y. (2012). Um Relato de Experiências de Estagiários da Licenciatura em Computação com o Ensino de Computação para Crianças. Revista de Novas Tecnologias, 3, 21-30. Obtido 14 Março 2016, desde http://www.cinted.ufrgs.br/ciclo20/artigos/1c-felipe.pdf

Scaico, P., Henrique, M., Cunha, F., Alencar, Y. (2013). Ensino de programação no ensino médio: uma abordagem orientada ao design com a linguagem Scratch. Revista Brasileira de Informática na Educação, v. 21, n. 02, p. 92.

Souza, C. S. Salgado, L., Leitão, C., Serra, M. M., (2014). Cultural appropriation of computational thinking acquisition research: seeding fields of diversity. In: Proceedings of the 19th Conference on Innovation & Technology in Computer Science Education. ACM, p. 117-122.

Valente, J. A. (1993) Computadores e Conhecimento: repensando a educação. Campinas: Unicamp/Nied.

Vieira, A., Passos, O. e Barreto, R. (2013). Um Relato de Experiência do Uso da Técnica Computação Desplugada. XXI

Workshop sobre Educação em Informática, 21, 671-680. Obtido em 14 Março 2016, desde http://www.lbd.dcc.ufmg.br/colecoes/wei/2013/0031.pdf

Vygostky, L. (1962). Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 194 p.

Wing, J. M. (2006) Computational Thinking. Obtido em 01 Fevereiro 2016, de Carnegie Mellon School of Computer Science Web Site https://www.cs.cmu.edu/~15110-s13/Wing06-ct.pdf




DOI: http://dx.doi.org/10.17398/1695-288X.15.3.99

Follow me on Academia.edu